Como escrever cenas de sexo

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Por: Verlaine Vincertty
Link: https://fanfiction.com.br/u/503552/

Aviso: conteúdo proibido para menores de 18 anos.
Olá, seres humanos! Tudo bem com vocês? Sou novata na liga dos betas, logo, este é o primeiro artigo que faço para blog. Hoje, trago para vocês um tema que todos nós gostamos. Exatamente, estou falando de sexo. A relação sexual está muito presente na literatura contemporânea, e não seria diferente nas fanfics. No entanto, tenho observado que alguns autores possuem dificuldades em abordar o ato. No presente artigo, estarei dividindo com vocês algumas orientações sobre o que é interessante numa cena de sexo. 
É importante o autor ter em mente que não existe uma manual passo-a-passo de como descrever o ato sexual no universo ficcional, pois a cena vai depender do contexto da história e da construção dos personagens. 
Inicialmente, o autor deve fazer um esboço mental da cena. Alguns questionamentos devem ser levados em consideração, como: quem irá narrar o ato? Quão explícito eu quero ser? Quero algo romântico ou selvagem/carnal? Onde quero que isso aconteça? É fundamental que o momento faça sentido, ou seja, que haja compatibilidade com que está acontecendo em volta dos personagens. Imaginem que eles estão sendo perseguidos por zumbis. Provavelmente parar e fazer amor não seria algo muito adequado. Da mesma maneira, é importante situar adequadamente o local do momento de amor, que deve estar, também, de acordo com o enredo.
Uma cena de sexo não é algo que deve ser inserida levianamente. É preciso que haja um encaixe com o enredo, do contrário, será apenas uma exibição de sexo gratuito. É interessante levar em consideração as motivações e os conflitos dos envolvidos, como o ato vai influenciar na história e no relacionamento dos personagens e como eles irão reagir.
Uma dica pertinente para os autores que desejam escrever boas cenas de sexo: não tenha pressa. Conduza a situação com calma. Isso instiga o leitor e o excita. Muitas vezes, o ato de descrever bem as preliminares torna-se mais interessante para o público do que o ato propriamente dito. É interessante investir em cenas que possam conduzir os personagens ao sexo, como uma dança, uma comida, uma bebida, um jantar, etc. Serão nesses momentos que os mocinhos irão instigar um ao outro, criando uma tensão sexual entre eles. Vejam o exemplo:
“Ele estava de lado, virado para ela, descansando a cabeça na mão, o braço apoiado no cotovelo, o joelho direito dobrado, servindo champanhe. Eles brindaram ao seu amor e tomaram o Dom Pérignon vintage favorito de Gabriel antes de ele se inclinar para capturar os lábios dela com os seus. 

– Gostaria de alimentar você – murmurou ele.
– Sim, por favor.
 – Feche os olhos. Apenas prove.
Julia confiava nele, então fechou os olhos e sentiu algo tocar seu lábio inferior; em seguida, estava dentro da sua boca: chocolate, morango doce e suculento e a sensação do polegar de Gabriel roçando sua carne. Abrindo os olhos, ela o agarrou pelo punho, puxando seu polegar para dentro da boca, lentamente. Ele arregalou os olhos e gemeu. Ela deslizou seu polegar pela língua, tocando-o de leve e chupando-o com determinação, antes de girar a boca ao longo da sua ponta para saborear qualquer resquício de chocolate. Gabriel tornou a gemer pelo modo como Julia olhou para ele sob os cílios, encarando-a com uma mistura de paixão e surpresa.

O Inferno de Gabriel, Livro 1.
Perceberam? 
Aspectos físicos e emocionais não devem ser esquecidos. O acontecimento não deve ser baseado unicamente no que eles estão fazendo. É de vital importância descrever o que os personagens sentem, seus temores e suas expectativas. Invista nos cinco sentidos para descrever uma cena erótica. A textura, o cheiro e o sabor da pele, o contorno dos corpos, o sabor dos lábios, a sensação dos corpos unidos, o contorno dos glúteos, a maciez dos lençóis, o peso de um corpo sobre o outro, o barulho do rádio, os sussurros, as carícias, os gemidos, o sexo oral e os dedos… É muito instigante olhar nos olhos da pessoas amada e visualizar uma confusão de sensações: amor, carinho, desejo e excitação. Tudo isso contribui para que o leitor não só visualize a cena, mas se imagine nela. 
Seja criativo! Apesar de tudo resumir-se a toques, sensações, preliminares e sexo, é preciso ter cuidado para não soar repetitivo. Use e abuse da criatividade. É interessante utilizar de artigos sexuais, como velas para massagem, canetas para o corpo, massageadores eróticos, bebidas afrodisíacas e, para os mais ousados, vibradores. Não caia na repetição, seja autêntico. 
Uma coisa que acontecia comigo, como leitora, mas que eu acho que acontece também com autores, é sentir timidez e vergonha em ler/descrever relações sexuais. Não precisa ser assim. Lembre-se que sexo é algo tão natural quanto respirar. Logo, não se sinta tímido em colocar algo que você considera que irá contribuir na cena. É difícil no início, mas passa. 
Diálogos são importantes para a construção da cena. O que é dito durante o ato pode ser tão importante quanto sexo propriamente dito e isso ajuda a esquentar o clima. Só é preciso ter cuidado para que os diálogos não ficarem pornográficos, quando não é o objetivo, tipo: “Oh, God, fick my ass…”. Me deparei com situações em que a história era bem “algodão doce”, mas os diálogos nas cenas de sexo eram exageradamente “sujos”. Siga o contexto da sua história.

ALGUNS CUIDADOS:

  • Virgindade: não é novidade pra ninguém que a primeira vez da mulher, na maioria das vezes, dói muito ou é incômoda. Por isso, é interessante colocar um pouco da realidade no universo ficcional. Muitas vezes, autores descrevem a primeira vez da mulher como algo estupendo, sem dor e inteiramente prazeroso. Não é crime, mas lembre-se que importante fazer o leitor sentir um pouco de representatividade no personagem e fazer com que a história não fique fantasiosa em demasia. 
  • Mais de um ato sexual em uma única cena: é comum encontrar nas histórias situações em que, logo após o orgasmo, os personagens já estão prontos para iniciar novamente, sem levar em consideração o lado fisiológico da situação. É necessário tempo para que haja excitação novamente, e é importante levar a realidade em consideração para a cena não ficar hilariante.
  • Excesso de detalhes: muitos autores perdem tempo em descrevem a anatomia masculina de maneira detalhada, exaltando tamanho, cor, temperatura e até mesmo localização de veias. Uma verdadeira idolatria! Não é bacana.
  • Fantasia X realidade: é preciso ter consciência que o ato sexual não envolve unicamente pessoas bonitas e com corpos perfeitos. Nem sempre o sexo será algo super romântico e que ambas as partes estão plenamente enamoradas. Na realidade, o ato pode envolver raiva, desconforto, medo e tensão. Não há erro em descrever um personagem masculino sem “tanquinho” ou uma mulher com cicatriz no corpo. Muitas vezes, os leitores são influenciados pelo contexto do ato. 


CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Não esqueça que escrever deve ser divertido e prazeroso, então, não fiquem tensos. Na dúvida, pesquise, leia e assista filmes, pois estas são ferramentas que podem servir de inspiração. 


Referências:
http://www.ehow.com.br/escrever-cena-sexo-ficcional-como_20312/
http://pt.artsentertainment.cc/livros/Fic%C3%A7%C3%A3o/1009027533.html
http://www.ditopelomaldito.com/2013/10/o-que-nao-fazer-ao-escrever-ficcao.html

8


As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana