Dicas e Explicações Sobre Sex Talk

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Por: Grim o

Aviso importante: esse artigo é proibido para menores de dezoito anos.

Olá, galera! Essa aqui é a minha estreia no Blog da Liga e eu escolhi já um tema bem quente pra isso. :P Não será algo muito longo, visto que não há um manual sobre “como fazer uma boa sex talk”, mas trago aqui algumas informações importantes e dicas que podem vir a calhar na hora de fazer sua história +18 ;)

Então, para quem desconhece, sex talk (tradução livre: conversa sobre sexo) ou dirty talk (t.l.: conversa suja) é um artifício muito comum em livros e fanfictions que abordam o tema “sexo”. Não é algo moderno, apesar de ter sido disseminado com a onda de livros eróticos que invadiu as livrarias de todo o mundo. Marquês de Sade, escritor do livro “Os 120 Dias de Sodoma”, já falava abertamente sobre seus benefícios ainda no século XVIII.

Mas o que realmente é sex talk?

Bem, sex talk pode se manifestar de diversas formas, seja em ficção ou vida real. Geralmente se trata de uma conversa entre dois ou mais parceiros em que o foco principal é o sexo. Pode ser feito como preliminares, para deixar a relação mais apimentada no momento; também durante o sexo, como forma de causar mais excitação; assim como após, em uma forma de perpetuar a sensação prazerosa que vem com o sexo.

No entanto, não é regra que tenha que ser feito presencialmente. Sex talk também tem as suas variantes para “sexo à distância”, como o phone sex (t.l.: sexo por telefone) e cybersex (t.l.: sexo cibernético). Afinal, quantas vezes vocês não viram em histórias os personagens falando por telefone sobre o que fariam com o(a) parceiro(a) se estivessem ali? Ou personagens descrevendo o que estavam vestido e provocando um ao outro por um chat ou vídeo-chamada? Essas são algumas variantes de sex talk.

Há uma multiplicidade de assuntos que compõem uma sex talk dentro do tema “sexo”. Pode acontecer em forma de comandos, como, por exemplo, em 50 Tons de Cinza com a relação dominante e submisso do BDMS. Pode ser constituída por descrições eróticas, desde sobre o que a pessoa está vestido, até a forma como ela se tocaria ou tocaria o parceiro. Também há conversas em que se usa palavras rudes e/ou chulas, como, por exemplo, “você é uma puta”, “vou te arregaçar”, “chupa meu pau, sua vadia” e variantes.

Algo muito importante que deve ser dito sobre sex talk: é algo que deve ser debatido com todos os parceiros e eles devem estar de acordo e confortáveis com o uso de qualquer uma das formas. Usar palavras rudes ou comandos, até mesmo descrições, sem a aprovação do(s) parceiro(s) pode causar desconforto, humilhação e, com toda certeza, perda da vontade de fazer sexo. Então muito cuidado!

Agora, passada essa rápida explicação, venho com algumas dicas sobre como fazer um boa sex talk para sua história!

A primeira dica é fique confortável. Não adianta nada você ser um autor super tímido com seus personagens e ficar incomodado com o tema “sexo”. Escrever uma sex talk é algo que exige uma certa tranquilidade e bem-estar consigo mesmo, porque se não, no fim, a conversa entre os personagens vai ficar forçada, sem graça e até irritante para certos leitores. Por isso, se você não sente comodidade em escrever cenas onde os personagens falam sobre sexo para provocar seus parceiros é melhor que treine para então fazer uma oficial para sua fanfic. Escrever o que chamam de “ficlets” (pequenas fics, geralmente com menos de mil palavras) é uma boa forma de desenvolver cenas com as quais sente dificuldade, afinal são histórias sem compromisso e sem pressão alguma para agradar leitores.

A segunda dica que lhes dou é: estabeleça os personagens que aceitam os diferentes tipos de sex talk. Assim como com pessoas, os personagens têm suas próprias personalidades, gostos e desgostos, e, por isso, é importante que se crie um critério onde você, autor, tem que buscar saber quais aceitam sex talk num geral e, depois, quais aceitam tipos específicos de sex talk. Porque imaginem um personagem super tímido, inexperiente quanto ao que é sexo, que sente vergonha até de ver o namorado sem camisa. Esse é o tipo de personagem que, provavelmente, não conseguiria manter uma sex talk com descrições. Ele possivelmente entraria em combustão de tanta vergonha e timidez antes de conseguir falar algo. xD Por outro lado, imaginem uma personagem mulher e feminista, ela é super presente no movimento, luta diariamente contra o machismo. Esse é um tipo de personagem que, provavelmente, não se daria bem com aquela sex talk que utiliza de palavras rudes e chulas, principalmente se entre essas palavras estiverem as famosas “vadia”, “puta” e variantes. Então é muito importante que você analise os tipos de personagens e casais que existem na sua história para definir quais os estilos de sex talk irá utilizar na história.

Em terceiro, defina o(s) momento(s) correto(s). Talvez “correto” não seja a melhor palavra para descrever, mas tenha em mente que há momentos mais propícios para se escrever uma sex talk, independente dos assuntos e dos meios utilizados para se fazer. Afinal, imagine um personagem virgem, tímido e com pouca experiência sexual. Esse não é o tipo de personagem que, na sua primeira vez, vai ficar dando comandos ou descrevendo situações eróticas para o parceiro. Ou, imaginem um casal que se ama demais, mas que estão separados por algum motivo. No primeiro reencontro, naquela noite de amor e paixão, ele provavelmente estariam mais preocupados em demonstrar os sentimentos que possuem do que ter um super orgasmo ou deixar a(o) parceira(o) super excitado. Por isso deve-se pensar com carinho as cenas que pedem por sex talk, para que ela não apareça forçada em sua história.

E, por fim, se divirta. Porque escrever, seja sobre sexo, amor, mistério, terror ou drama, tem a ver com o prazer que o próprio autor sente ao colocar aquelas palavras no papel. Não force uma sex talk se acha que não está se divertindo ao fazer os personagens interagirem dessa forma. Porque o que mais importa é você, autor. Essa é a sua obra. xD


Indicações de livros contendo sex talk:
Cinquenta Tons de Cinza, por E. L. James.
Série Crossfire, por Sylvia Day
Amante Vingado, por J. R. Ward


Referências bibliográficas:
WARD, J. R. Irmandade da Adaga Negra - Amante Vingado. 1ª Edição. São Paulo: Universo dos Livros, 2010
JAMES, E. L. Trilogia Cinquenta Tons. Rio de Janeiro: Intríseca, 2012
GRAY, Jordan. Dirty Talk: The Ultimate Guide For Beginners (50+ Examples). <https://goo.gl/o0Vvxo> Acesso em: 27/11/2016 às 16:46.
WIKIPÉDIA. Dirty Talk. <https://goo.gl/9veYlo> Acesso em: 27/11/2016 às 16:49.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog da Liga é um espaço para ajudar os escritores iniciantes a colocarem suas ideias no papel da melhor maneira possível.



As imagens que servem de ilustração para o posts do blog foram encontradas mediante pesquisa no google.com e não visamos nenhum fim comercial com suas respectivas veiculações. Ainda assim, se estamos usando indevidamente uma imagem sua, envie-nos um e-mail que a retiraremos no mesmo instante. Feito com ♥ Lariz Santana